O COLCA E O CONDOR


Arequipa é a segunda cidade mais populosa do Peru e um dos destinos turísticos mais procurados do país. Entre os principais motivos é pelo Vale e Canion del Colca. Formado pela erosão do Rio Colca, o cânion tem cerca de 70 km de extensão e mais de 3.500 metros de profundidade, sendo considerado entre os maiores do mundo. Existe uma divergência entre estudiosos. Alguns afirmam que é o segundo maior cânion do mundo, outros que fica atrás de um cânion localizado na China. Mesmo com a polêmica, para ter uma noção da magnitude do Colca, o cânion peruano é duas vezes mais profundo que o Grand Canyon, nos Estados Unidos. O Cânion de Colca é um abismo impressionante que o rio erodiu entre dois enormes maciços montanhosos: o Coropuna e o Solimana.

Estima-se que cerca de 120 mil pessoas visitem a região ao ano. Vários povoados e pequenas cidades estão assentadas dentro do desfiladeiro. As pessoas locais mantêm suas tradições ancestrais e continuam a cultivar nos terraços incas. A estrada que leva ao cânion asfaltada começa na Rodovia Panamericana perto de Arequipa e segue até Chivay, já dentro do desfiladeiro. Daí em diante, uma estrada de terra leva até sua parte mais profunda.


#Pracegover: Mapa do Vale e Canion del Colca. Ao centro Rio Cortando as cidades do Colca.

COMO IR AO CÂNION DEL COLCA?

Bom, o primeiro passo é chegar em Arequipa. Você tem a opção de ir de avião, tendo em vista que a cidade possui aeroporto, ou de ônibus. Assim, se você estiver em Lima você pode optar pela opção de um voo direto para Arequipa.

De ônibus é uma opção mais demorada, mas que pode ser útil. O Peru tem muitas empresas de ônibus, com uma grande variedade de opções de serviços e valores. Porém, mesmo as empresas “mais caras”, acabam saindo em conta. Algumas empresas de ônibus oferecem serviço de bordo e até tem opções de entretenimento individual em cada assento. As vezes, melhor que muitas companhias aéreas.

Caso você esteja em outras cidades como Puno, Cuzco tem ônibus para Arequipa. Se estiver no Norte do Chile e decidir conhecer o Vale del Colca, uma boa opção é pegar um ônibus na cidade de Tacna até Arequipa. Em outro post detalharei melhor as opções de transporte no Peru.

PASSEIO

Existem algumas opções de passeio. A escolha dependerá do seu tempo disponível pela região. Para aqueles que tem pouco tempo tem a opção de Full day, um bate e volta pelo Vale, saindo de Arequipa. Aqueles que já tem mais tempo podem fazer um passeio de 2 dias, dormindo em uma cidade do Vale, normalmente, Chivay. Ou fazer um trekking que dura 03 dias normalmente. Os preços também variam um pouco.

Muitas empresas oferecem o serviço de turismo lá. Nos próprios hostels e hotéis existem parcerias e indicações de agências, além disso na região da Plaza de Armas de Arequipa também existem várias opções. Em Novembro de 2016, um full day estava na média de 60 soles, o passeio de 2 dias por volta de 90 soles e o trekking de 3 dias 150 soles. Cada passeio tem alguma peculiaridade, mas todos irão passar por mirantes, alguma cidade menor e ver animais como alpacas e lhamas.


#Pracegover Foto pasto cheio de lhamas, ovelhas e alpacas espalhadas.

IMPORTANTE: Tire todas suas dúvidas com a agência quando for fechar o passeio. Horários de saída do hostel, o que está incluso (refeições, estadia no caso de passeio de mais dias, entre outros).

DICA: Faça câmbio em Arequipa. As cidades menores do vale não tem casas de câmbio, com exceção de Chivay, porém lá vale bem menos a pena o câmbio.

** VALE LEMBRAR - O trekking de acordo com relatos é de categoria moderada. Porém, a região está localizada a mais de 4 mil metros de altitude (Foto abaixo mostra Mirador que fica a 4.910 m de altitude - como marcado na pedra) É importante beber bastante líquido, tomar cuidados com alimentação para não sofrer com o "soroche".


#Pracegover: Homem (usando calça jeans, tênis, camiseta preta manga longa e um gorro preto) agachado no canto esquerdo com o braço sobre uma pedra escrita "Mirador de los Andes "Tramo de La cordillera Volcanica en los Andes Centrales"

O QUE VEMOS?

Dependendo do Tour a sua experiência terá alguma parada diferente e uma experiência única. Mas, em todos, você tem a oportunidade de observar o cânion em algum mirantes, sendo o principal o Cruz del Condor. Passa por algumas cidadezinhas do vale. É uma oportunidade de você ver o povo “peruano raiz”, embora os vilarejos estejam bastante enviesados para o turismo, muitas características ainda são conservadas.


#Pracegover foto do Mirante do Condor. Ao fundo céu azul com alguns nuvens e montanhas. Do lado direito uma trilha que leva até um mirante.

#TBT

Bom, como de costume aqui no blog, vou contar um pouco da minha experiência pelo Colca. Como reservei apenas 3 dias para Arequipa, sendo que o primeiro cheguei na metade pro final do dia e o último viajaria a noite para Cusco, teria pouco tempo para explorar a cidade. Assim, escolhi fazer o tour full day. Se tivesse mais tempo faria com mais calma a visita ao Colca, embora creio que valeu a pena para conhecer.

O tour de full day sai pela madrugada, umas 2h30/3h da manhã. Como o Vale fica a mais de 100km de Arequipa e as estradas são cheias de curvas e na região montanhosa a viagem é meio lenta. É FATAL, VOCÊ VAI DORMIR ATÉ CHEGAR NA PRIMEIRA PARADA. A van inteira dormiu. Além de que você pouco vai ver no meio da madrugada.

O primeiro ponto de parada é num pequeno vilarejo do Vale del Colca. Lá está incluso o café da manhã. Com boas opções. É costume ter nessas regiões, folhas de coca para mascar ou chás da planta. Na região andina é muito comum isso, as pessoas utilizam disso para aliviar os sintomas do SOROCHE (mal da altitude).

Depois do café, a parada é num mirante onde pode se observar uma boa parte do Vale del Colca, onde pode-se observar a passagem do Rio e de terraços agrícolas que são cultivadas até hoje pela população local, preservando a cultura de civilizações antigas que habitaram a região.

Depois desta parada, chega-se ao Mirante do Condor. Creio que o ponto mais famoso da região. Lá, os turistas se aglomeram para ver o voo do Condor. A ave costuma sobrevoar a região. Nesse ponto, muitos brigam por espaços para observar o voo e tirar a melhor foto no Cânion. De acordo com os guias e nativos locais é muito raro você ir e não ver a ave. Até mesmo porque são vários condores que habitam a região.


#Pracegover Foto Mirante Cruz del Condor. Foto de uma Cruz, cheia de flores, em cima de um algumas pedras, ao fundo montanhas e céu azul.

Na oportunidade o condor estava tímido, demorou para aparecer. Mas, quando apareceu deu um show sobrevoando o cânion. Após o “oooohhh” e os cliques das máquinas fotográficas de todos os turistas só era possível ouvir o vento soprando e o bater de asas do Condor, até ele planar sobre a cabeça de todos e sobrevoar o cânion. Uma imagem marcante para todos que assistiram esse espetáculo da natureza.


#Pracegover: Foto Dois condores de costas com asas abertas em cima de uma pedra no penhasco.

De lá, uma nova parada numa pequena feirinha que também é um mirante para o vale. Uma parada rápida e seguimos para uma outra pequena cidade, chamada Maca. Muito simpática, com uma pequena feira e uma igreja de cartão postal. Lá, os nativos vão direto nos turistas tentando vender bugigangas ou fazer você tirar uma foto com suas lhamas ou outro animal, obviamente a troca de alguns soles.


#Pracegover Foto lateral da igreja de Maca. Igreja branca, duas torres. Na esquina uma mulher com trajes tipicamente peruanos e uma alpaca a sua frente.

De Maca seguiu até uma parte mais baixa do Cânion, onde são praticados esportes radicais como canoagem e tirolesa. Mas, ninguém do grupo quis se aventurar. Além de que, um passeio Full day, acaba sendo muito cansativo para fazer “atividades extras”.

O passeio ainda parou em Chivay para o almoço. Normalmente, o restaurante escolhido é mais caro (30 soles/ +- r$ 30,00 – quem já visitou o Peru, sabe que isso é caro para uma refeição, é possível encontrar coisa boa por bem menos). Assim, se não tiver tanta fome, ou preguiça de andar. A dica é ande algumas quadras que com certeza encontrará opções mais baratas.


#Pracegover: Foto da Praça central de Chivay. Ao fundo uma Igreja. No centro da praça, algumas pessoas sentadas no banco, algumas árvores, postes de luz, canteiros com grande a flores e uma fonte no canto da foto (centro da praça).

Chivay é uma cidade pequena, porém maior que as demais da região. Tem umas feirinhas e uma plaza de armas bem bonita. Vale a pena caminhar pelo centro e conhecer um pouco.Por fim, paramos em mais um mirante aonde pode-se ver um dos vulcões da região. Arequipa é cheia de vulcões por perto e também muito conhecida por seus abalos sísmicos. Inclusive tenho uma boa história sobre isso. Mas, isso eu conto no próximo post sobre a “Ciudad Blanca”. Então te vejo por aqui na próxima. Até o próximo post! P.S. Neste link encontra-se as cidades e principais paradas do Vale/Cânion del Colca. Em Vermelho são os pontos que visitei em azul os demais pontos recomendados para conhecer.

#AméricadoSul #Peru #mochilão

CONHEÇA HUARAZ

O PARAÍSO NATURAL PERUANO

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • instagram_PNG11
  • Tumblr Social Icon
  • Spotify Social Icon

REDES SOCIAIS

Foto: Abrindo a Cabeça logo
Foto Leonardo Spagiani Paduan

ABRINDO A CABEÇA

  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round

DICAS DE VIAGEM, CULTURA, CURIOSIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS, HISTÓRIAS DE MOCHILÃO E MUITO MAIS