VINÍCOLAS EM MENDOZA


A região de Mendoza, província da Argentina, é muito conhecida pelos bons vinhos. Cerca de 80% da produção vinho argentino é proveniente desta região. Localizada no oeste do país, próximo da fronteira com o Chile, a província possui muitas vinícolas (bodegas em espanhol) que recebem visitantes o ano inteiro. As principais vinícolas estão localizadas nas cidades de Maipu e Lujan de Cuyo e Valle de Uco que ficam a poucos quilômetros da cidade de Mendoza (capital da Província). Os vinhos mais produzidos na região são: Malbec, Chardonnay, Cabernet Sauvignon, Torrontés, Bonarda e Sauvignon Blanc.


#Pracegover: Foto colorida. pés de parreira. Ao fundo algumas árvores e céu azul, sem nuvens.

  • COMO CHEGAR EM MENDOZA?

Atualmente, existem voos direitos de São Paulo para Mendoza, com duração de cerca de 3h30 a 4h. De outras partes do Brasil existem voos com conexões ou escalas. Caso, você esteja em Buenos Aires e quiser esticar até Mendoza, também existem opções de voos direito (cerca de 1h40 de viagem), ou ônibus em vários horários (de 14h30 a 18h de viagem, dependendo da companhia e trajeto do ônibus). Se você estiver em Santiago no Chile, é possível ir de ônibus ou avião para Mendoza. Se optar pelo ônibus atente-se para o clima, tendo em vista que a região é montanhosa e no inverno, por conta da neve, às vezes, a estrada fica fechada.

  • ONDE FICAR?

Se você deseja ir para a região apenas para conhecer as vinícolas, talvez, a melhor opção seja ficar em Maipu. A cidadezinha pequena é cheia de bodegas e possui boas opções de hospedagem. Agora, se você tem mais tempo e deseja conhecer outros atrativos, melhor opção seja ficar propriamente em Mendoza. A cidade possui agências de turismo, mais opções de hospedagem, casas de câmbio fácil, e outros atrativos como parques e museus. Além, de várias opções de bares e restaurantes.

  • COMO VISITAR AS VINÍCOLAS?

Você pode visitar por conta própria, ou através de um tour guiado com uma agência. Isto, dependerá muito do seu tempo, disponibilidade e do seu próprio perfil de viajante. Por conta, é simples. Basta você chegar até as cidades de Lujan de Cuyo ou Maipu. Existem linhas intermunicipais que fazem o trajeto. Em Maipu, existem locais que alugam bicicletas para você fazer o caminho das vinícolas já que são várias. É importante verificar se é necessário fazer RESERVA ANTECIPADA nas vinícolas que você deseja visitar.

Devido ao tempo, acabei fazendo o tour guiado com uma agência local de Mendoza. Por isso, vou detalhar mais sobre este tipo de passeio.

O TOUR PELAS VINÍCOLAS

Os tours normalmente são em pequenos grupos, de 10 a 15 pessoas. No passeio que fiz, além da visita em 3 bodegas, tivemos mais uma parada em uma fábrica de azeite. Normalmente, as agências já tem suas parcerias já com algumas vinícolas, por isso, se você quiser conhecer alguma bodega específica, é bom perguntar antes de fechar o passeio. Apesar do tour possuir um guia, que passa orientações entre os trajetos, em cada parada somos recepcionados e guiados por funcionários das próprias vinícolas.

Nossa primeira parada foi na Bodega Domiciano, uma bodega boutique das mais conceituadas de Maipu. O funcionário que nos recepcionou nos levou até as parreiras e explicou que a região de Mendoza tem o clima perfeito para a produção de vinho, aliado a um solo rico em mineiras. Depois, teve uma breve explicação de meios de conservação do vinho e suas classificações. Logo depois seguimos para o o bar e restaurante onde somos convidados a fazer a degustação de vinhos. O guia fala sobre os sabores, e a razão de porque mexer a taça antes de beber.


#Pracegover: Foto colorida. Na parte inferior parede com o logo da vinicola Domiciano. Na parte superior vitrine de vidro com algumas garrafas de vinho

Nossa segunda parada foi na bodega Vistands, também é uma bodega boutique com grande reconhecimento. A guia da bodega também deu mini aula sobre o processo de produção de vinho. Na Vistands, fomos convidados a conhecer mais da parte interna e do funcionamento da bodega. O tour passa por toda a parte operacional da produção do vinho. Em cada sala era feita uma breve explicação sobre as fases do processo produtivo.


#Pracegover: Foto colorida. 4 Tanques para armazenamento de vinho

A guia também nos levou nos locais onde são armazenadas as garrafas e barris de vinho. Durante o tour, foram dadas explicações referente aos cuidados com a temperatura, luz, e determinadas especificidades para o armazenamento de cada tipo de vinho. No final, mais uma degustação de vinhos.

#Pracegover: 2 fotos coloridas. Foto da esquerda barris de vinho enfileirados. Na direita garrafas de vinhos armazenadas uma em cima da outra, atrás de uma grade.

Para dar uma mesclada no passeio, fomos a Acetaia Milan, uma fábrica de azeite. A visitação segue o padrão das vinícolas, primeira explicações básicas sobre a plantação próxima a uma das oliveiras. Seguido de uma visita a parte da fábrica e da produção do azeite. Ao final, uma degustação dos azeites e alguns outros produtos.


#Pracegover: Foto colorida. 8 Garrafas de Azeite, enfileiradas, em cima de uma banqueta. Ao fundo parede verde.

Nossa última parada foi na vinícola Fiori, uma bodega mais tracional. Lá, tivemos uma breve apresentação sobre a vinícola e já fomos direto para degustação. Os vinhos eram mais suaves e um pouco mais doces. É interessante que neste tour, são vinícolas com especialidades em diferentes tipos de vinhos (suave, seco, tinto, branco, etc..) Então, é possível conhecer um pouco de cada.


#Pracegover: Foto mesas com garrafas de vinho, balde e copos em cima.

  • TEMPO DE DURAÇÃO: Os tours demoram cerca de 4h a 5h. Normalmente, são feitos em um período (manhã ou tarde).

  • ACESSIBILIDADE: Variável. Isso depende de vinícola para vinícola. Algumas, apresentam partes da estrutura com piso tátil e outros dispositivos que garantem a acessibilidade. Outras vinícolas, na sua parte interna apresentam degraus, escadas e desníveis, dificultando o acesso de pessoas com mobilidade reduzida.

VALE A PENA PARA QUEM NÃO GOSTA DE VINHO?

Sim. Se a sua viagem já incluir Mendoza no itinerário, com certeza. Particularmente, não sou um grande apreciador de vinho. Porém, após este tour até comecei a gostar mais. Primeiro vale a pena pela parte do conhecimento sobre a produção, plantação e até por aspectos geográficos e explicações da região. É um grande aprendizado, inclusive no aspecto cultural. Além disso, a parte de degustação também é muito interessante e saborosa. Você aprende como degustar o vinho, sem contar que como o tour passa por diferentes vinícolas, são vários sabores e textura do vinho. Ou seja, é para todos os paladares.


#Pracegover: Foto colorida. Em cima da mesa, na esquerda garrafas de vinho, na direita taças com um pouco de vinho.

DICAS:

  • ITINERÁRIO: Mesmo, se você conhecer as vinícolas por conta, faça no máxima 3 a 4 vinícolas por dia, para apreciar com tranquilidade.

  • COM MODERAÇÃO: Caso você tiver alugado um carro para visitar as vinícolas, é recomendado que o motorista não abuse nas degustações.

  • PESQUISE: Alguns armazéns permanecem fechados aos sábados e domingos, bem como feriados

  • DINHEIRO: Leve pesos argentinos, em muitas adegas não aceitam cartões de crédito.

#Argentina #AméricadoSul

CONHEÇA HUARAZ

O PARAÍSO NATURAL PERUANO

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • instagram_PNG11
  • Tumblr Social Icon
  • Spotify Social Icon

REDES SOCIAIS

Foto: Abrindo a Cabeça logo
Foto Leonardo Spagiani Paduan

ABRINDO A CABEÇA

  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round

DICAS DE VIAGEM, CULTURA, CURIOSIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS, HISTÓRIAS DE MOCHILÃO E MUITO MAIS