DICAS DO MÉXICO


**SUGESTÃO: Lista do Spotify do México

O México é um destino muito procurado pelos brasileiros, principalmente pela região de Cancún. O país é rico em cultura e gastronomia. Além de praias e visuais paradisíacos, o país também oferece muitos museus e sítios arqueológicos para os amantes de história. Além disto, é o país do "Chaves", seriado que conquistou muitos fãs brasileiros.


#Pracegover: Foto da bandeira do México hasteada. 3 colunas de cores na vertical. Na esquerda faixa verde, no centro faixa branca com o símbolo do país, na esquerda faixa vermelha.

ENTRADA NO PAÍS:

Antes de preparar as malas para o México, vamos ver o que é necessário para entrar no país. Para brasileiras(os) que vão fazer turismo é necessário apenas o passaporte. Não é exigido visto para permanência de até 90 dias, nem certificado de vacina internacional. Porém, muitas vezes, os voos do Brasil para o México fazem escalas em países da América Central e muitos exigem o Certificado de Vacinação Internacional para a Febre Amarela. Por isto, é bom verificar com a sua companhia área a necessidade e se no país de escala é necessário a certificação.

O MÉXICO DO DANILO

Documento na mão. Prontos(as) para conhecer o México? Quem vai ser o nosso "guia" pelo país será o técnico dos correios, Danilo Wallid. Ele fez uma mochilada de 50 dias por terras mexicanas. Danilo já conheceu todos os países da América do Sul, sempre mochilando. E um detalhe interessante é que ele sempre assiste um clássico de futebol no país em que visita.

- CIDADES VISITADAS:

Cidade do México. (Capital) - " Você tem a obrigação de conhecer, até porque leva o nome do país e tem muita coisa pra conhecer. Precisa de pelo menos 10 dias para conhecer tudo. É uma porrada de museu, sítio arqueológica. Culturalmente muito rica. Você precisa conhecer. Ao mesmo tempo, é a maior cidade da América Latina. Mais populosa. 24mi de pessoas. Você percebe isso lá. Você nota que é grande mesmo morando em uma cidade grande. É uma experiência de turismo urbano muito legal. vida noturna boa e povo receptivo. Estive lá em dezembro e fez frio".


#Pracegover: Foto de Praça na cidade do México. Ao fundo prédio. No centro da praça Bandeira do país

Entre os principais pontos turísticos da cidade estão: Museu Nacional de Antropologia, Museu Frida Kahlo, Castelo Chalputepec e a Catedral Metropolitana. Muitas pessoas visitam a Cidade do México para conhecer Teotihuacan, um sítio arqueológico conhecido por suas pirâmides, que está localizado próximo da capital.


#Pracegover: foto. No centro da foto homem de pé de braços cruzados (Danilo), ao fundo uma das piramides do sítio arqueológico de Teotihuacan

Tijuana - Localizada no Norte do país, a cidade não tem muitos atrativos, por isto, normalmente não se encontra no roteiro da maioria dos visitantes do México. "Os locais de interesse turísticos, concentrado na principal av. Revolucion. Mas, é muito pouco. Quem costuma visitar é quem está na California. Lá é mais um anexo dos EUA. Normalmente, as pessoas não vão muito para lá. Contrariei a maioria, porque queria conhecer o muro de perto. Então, Tijuana acabou sendo uma experiência antropológica. Constantei coisas não muito legais. Basicamente, muitos que moram em Tijuana, falando no muro com os parentes que moram na california e guardas americanos cronometrando o tempo. Lembra até a prisão.


#Pracegover: Homem no canto esquerdo (Danilo) de pé e braços cruzados. Atrás praia, dividida pelo muro que separa México dos EUA.

Além disto, Danilo conta que é uma cidade bastante insegura. "Me sinto mais seguro no Rio e em todos lugares que estive na Venezuela que na Tijuana. É uma cidade traiçoeira. Praticamente, todos os negócios dali estão ligados ao narcotráfico. Eles tem a lei na própria cidade. Na Av. Relovucion é tranquilo. Eu mesmo cheguei a ver um assalto a mão arma. na rua do hotel que estava. Serve para conhecer em titulo de curiosidade. Não recomendo fazer sozinho. Lá eles possuem suas próprias leis que são regidas pelo narcotráfico. Tem suas coisas interessantes para conhecer. Não recomendo pelo menos, mas se quiser ir que vá em grupo", adverte.

Monterrey - A visita de Danilo a cidade foi com a intensão de ver o clássico. Porém, teve um imprevisto, os ingressos só vendem para sócios. "Não é uma cidade muito interessante. Meio feia, mas tem lugares legais para conhecer, como o Paseo de Santa Lucia. Cidade meio feia e meio perigosa. Vida noturna bem vazia. Muita gente sendo executada por conta da guerra do narcotráfico. É uma cidade para ir com cuidado. Interessante da cidade é parte culinária. O estado de Monterrey está pro México, assim como o RS está pro Brasil, em termos de carne", relata.


#Pracegover: Foto. Danilo no canto esquerdo inferior no Paseo de Santa Lucia. Atrás um canal, com uma ponte ligando os dois lados.

Guadalajara - Conhecida como a cidade das mulheres mais bonitas do México. De acordo com o brasileiro já é uma cidade com melhor qualidade de vida e mais organizada. Porém, é uma cidade "chata" sem muito o que fazer no período noturno. "Guadalajara está no Estado de Jalisco, que é mais provinciano. A Av. Chalputepec, que é a principal, não encontra muitas casas noturnas, bares e eles andam em grupos muito fechados, não são tão sociáveis. Praticamente não encontrei nenhum lugar para socializar. Um fato estranho é que não deixam entrar homem sozinho em pubs", lembra.


#Pracegover: Foto. Homem (Danilo) de pé na frente de um letreiro escrito Guadalajara.

Tequila - É uma cidade pequena também no estado de Jalisco. "É uma típica cidade bate-volta. É muito interessante para quem gosta de beber. Lá, você pode experimentar várias tequilas. Mesmo, eu não bebendo, em termos antropológicos foi interessante. Algumas até pelo odor tem uma qualidade melhor. Foi interessante conhecer", destacou Danilo.


#Pracegover: Foto Danilo no canto direito, ao lado de uma caroça com toneis de tequila.

San Cristobal de Las Casas - Localizado no estado de Chiapas. É uma cidade bem pequena. "Até bonitinha você conhece tudo praticamente em 1 dia. De lá, você pode ir pra muitos lugares no estado de Chiapas. Meu principal interesse na cidade era visitar o caracol zapatista. Basicamente, eles não são de muita conversar. Mostraram tudo e depois dispensaram. Povoado vende muitas coisas. Vale a pena para conhecer mais do zapatistas", concluiu.


#Pracegover: Foto. Danilo no canto esquerdo. Na frente da entrada do Caracol Zapatista.

VeraCruz - A cidade litorânea tem como principais pontos turísticos o Forte San Juan de Ulua e o Museu da Colonização do México. De acordo com o brasileiro tem uma praia interessante, que fica próxima do centro, com uma bela vista. Porém, não serve para banho. "Tem umas praias afastadas que já dá pra se banhar. Não tive chance de conhecer, pois cheguei numa época fria. Tem uma vida noturna, mas não tanto quanto de Cancún. Vantagem é a parte cultural. Lá tem o Museu da Colonização do México que é muito interessante"


#Pracegover: Foto do Forte de San Juan

COSTUMES

Nosso amigo mochileiro, destacou que o mexicano tem o costume de falar mal de seu próprio país. "Como outros povos latinos, o México sofre muito complexo de vira-lata . Fala mal do país para estrangeiros. (Igual brasileiro, como maioria dos latinos). Mexicano do norte se acham "norte-americanos". Se fala espanglês (mistura de espanhol com inglês). Muita mistura de termos. Fica na dúvida se é forçado ou se é natural. Depende da pessoa (não consigo detectar). Principalmente em Tijuana", conta.

Danilo afirma que o mexicano, de um modo geral, tem características muito parecidas com o nordestino. "Ambos, são muito amáveis e receptivos. Sempre fui muito bem tratado. Mas, se arrumar um tumulto, o mexicano é esquentado, tem pavio curto. Se arrumar confuso é difícil de segurar."

IDIOMA:

O espanhol é um das línguas mais faladas no mundo, porém existem expressões idiomáticas, sotaques que fazem com que o idioma tenha variações nos diferentes países. De acordo com Danilo, o espanhol praticado no México é de fácil compreensão. "O espanhol dos mexicanos não é complicado. Notei que tem expressões quase que exclusivo, principalmente os mais chulos e informais. Você não confunde o sotaque com os demais sulamericanos. O sotaque deles é tranquilo de entender, um dos "mais limpos" para o estrangeiro compreender. Bem diferente do chileno, por exemplo, que fala rápido e abusa das gírias. Uma pessoa que tenha um bom nível de espanhol não terá dificuldades.

Apesar disso, nosso entrevistado destacou algumas expressões típicas do México. O sorvete não é chamado de helado, e sim de "nieve". Coisas consideradas legais são chamada de "tido" ou "padre. Além é claro do "cabrón", que é utilizado para chamar outra pessoa.

COMIDAS TÍPICAS:

De acordo com o nosso entrevistado, as características da gastronomia são bem parecidas com o Brasil. Única diferença é o exagero no uso da pimenta. Outra coisa é o modo de comer. "Costume diferente costumam comer na rua, sem guardanapo nem nada, na mão. Muito lugares nem oferecem guardanapos", ressaltou.

Entre os pratos que mais gostou no país estão os tacos e a "torta de jamon - o famoso sanduíche de presunto do Chaves. "Quando assisti o Chaves imagina um sanduíche simples. Mas, na verdade o lanche vai na chapa tem salada e outras coisas. Tem outros sabores. Eu gostei bastante", conta.


#Pracegover: Foto de uma torta de jámon

Além disto, "os chapulines" foi outro prato que acabou caindo no gosto do brasileiro. "É um aperitivo de insetos que inspiraram o "Chapolin colorado". Digo que este prato concorreria facilmente com o frango a passarinho. Com um limão junto fica muito bom",


#Pracegover: Foto de um prato de chapolins.

MÚSICA:

O México é conhecido pelos mariachis e por músicas internacionalmente famosas como: "Bésame Mucho", "La Bamba", "Solamente una Vez" e "La Cucaracha". Porém, foi outro estilo que chamou a atenção do brasileiro: a cumbia mexicana. "Não conhecia a cumbia do México. Conversando com o povo lá, descobri uma forte conexão com os colombianos. Uma das bandas pioneiras do ritmo é a "Los Angeles Azules". O Hip Hop mexicano também muito legal. Eu já conhecia. Molotov, escutei novamente quando estive lá", relembra.

FUTEBOL:

O futebol é muito forte no México. O país já sediou duas edições da Copa do Mundo (em 1970 - Brasil campeão e 1986 - Argentina Campeã) e a população é apaixonada pelo esporte. Além disto, o nosso entrevistado tem como tradição assistir uma partida de futebol local. "Nesta mochilada assisti o jogo entre Pumas e Santos Laguna. A partida foi disputada no Estádio ULAN (onde joga o Pumas). O estádio não possui cadeiras, é puro cimento. Isto chamou bastante atenção", destacou.


#Pracegover: Foto Danilo, no centro. Ao fundo campo do estádio de Ulan.

DICAS DO DANILO:

  • CUIDADO COM A PIMENTA. Se você não gostar de Pimenta, irá sentir dificuldade de passar por lá. Todas as refeições levam pimenta.

  • Povo no geral receptivo. Detalhe eles gostam muito de brasileiro. Falar espanhol. Comum ver pessoas com seleção. México no geral principalmente no norte perigoso. Nada complicado, para quem vive no Brasil. Sempre com dinheiro no bolso interno. Sempre muito cuidado. Mais ainda no norte.

  • NÃO LEVE REAIS, LEVE DÓLARES.

  • DOCUMENTOS: Imprima todas as reservas de hotel e passagens para se deslocar internamente. Mostra o roteiro que você vai fazer. O México é porta de entregada para imigração ilegal. Portanto, a imigração é muito rigorosa. Levae tudo impresso para não ter complicação.

  • VEJA MAIS DE UMA REGIÃO: O México é tão grande e tem tanta variação cultural. Percorra o máximo para você ver o quão varia culturalmente o país.

  • Em San Cristobal de Las Casa: Se você fizer uma longa viagem, como foi o caso do Danilo, e tiver saudades da comida brasileira, faça uma parada no Restaurante El Brasileiro .

ESTRUTURA TURÍSTICA: Em termos gerais, o brasileiro afirma que o país possui uma boa estrutura para receber visitantes. "A Capital tem melhor estrutura. Embora, o trânsito seja infernal inclusive na madrugada. O metrô ajuda a percorrer. Mas, os demais lugares são bem estruturados. Em geral, em termos de estruturas pro visitante aprovado. ", pontuou.

QUESTÕES SOCIAIS

ACESSIBILIDADE: De acordo com o brasileiro, o México possui todos os facilitadores, como rampas de acesso, identificação em braile, pisos táteis para garantir os direitos da pessoa com deficiência. Obviamente, que em alguns espaços e cidades ainda precisa melhorar as condições, porém existe o pensamento de garantir a acessibilidade no país.

HOMOFOBIA: "O México no geral, está bem avançado na questão da Homofobia. Você vê muito casal gay e tranquilamente, sem ninguém enchendo o saco. Acredito que o movimento LGBT seja forte e bem avançado a ponto da propriedade sociedade ter absorvido melhor esta causa. Norte do México você já não vê tanto. Na praça principal de Monterrey. Povo do norte conhecido como mais reacionário. Muitos se sentem mais "estado unidenses". Muitos conservadores. Por exemplo, mais atrasado a causa LGBT", ressaltou o brasileiro.

RACISMO: "O preconceito acontece mais pela questão regional. O povo é muito bairrista. As pessoas do sul são identificadas como mais indígenas. No norte mais misturado. Existe muita piada (tipo RJ X SP). Por parte de racismo comprovado. Existe muitos casais miscigenados. Muitas mulheres mexicanas, pelo menos na Capital, procuram se relacionar com homens negros. Este é um ponto na luta contra o racismo", aponta Danilo.

#México #AméricadoNorte

CONHEÇA HUARAZ

O PARAÍSO NATURAL PERUANO

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • instagram_PNG11
  • Tumblr Social Icon
  • Spotify Social Icon

REDES SOCIAIS

Foto: Abrindo a Cabeça logo
Foto Leonardo Spagiani Paduan

ABRINDO A CABEÇA

  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round

DICAS DE VIAGEM, CULTURA, CURIOSIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS, HISTÓRIAS DE MOCHILÃO E MUITO MAIS