O COMPLEXO ARQUEOLÓGICO DE CHAN CHAN


Quando alguém fala de povos pré-colombianos no Peru, logo pensasse em incas. Porém, existiram muitas outras culturas no território peruano. Entre elas os "Chimú", que se consolidaram no norte do país. Esse povo construiu um reino poderoso, com estrutura hierárquica definida e teve em sua capital, Chan Chan, uma cidade perfeitamente planejada, abrigando 50 mil habitantes., há cerca de 600 anos atrás. Atualmente, o local foi considerado pela UNESCO uma relíquia arqueológica um patrimônio cultural da humanidade.


#Pracegover: Foto colorida. Parede com a Escrita "Chan Chan Patrimônio Mundial"

HISTÓRIA:

Chan Chan foi a capital do Império Chimu, que governo desde Tumbes (ao norte do Peru - divisa com Equador) até Lima. O significado do termo Chan Chan é "Sol Sol", a cidade recebeu esse nome por ser muito quente. O complexo urbano de Chan Chan foi construído sucessivamente entre o século X e XV, até a dominação da região pelos incas, por volta de 1470. A construção foi feita por dez conjuntos amuralhados, templos, reservatórios, vivendas e extensos campos de cultivos de 20km². Chan Chan é considerada a maior cidade de adobe (material feito de barro) da América.


#Pracegover: Foto colorida. Parede do Palácio de Nik An, com desenhos de peixes nadando um atrás do outro em sequência. Os peixes estão desenhados em fila, formando um formato de piramide.

O COMPLEXO ARQUEOLÓGICO DE CHAN CHAN

O Complexo Arqueológico é grande e conta com 4 lugares: Palácio Nik An - "Chan Chan", Huaca Arco Íris, Huaca la Esmeralda e Museu de sítio Chan Chan. Existe um ingresso integral para as 4 atrações. Porém, os locais ficam distantes, uns dos outros. Caso, você deseje conhecer apenas o principal visite o Palácio Nik An, mas se tiver tempo e interesse vale a pena visitar os demais locais, afinal já está incluso no ingresso. No caso, visitei os 4 lugares. Vou colocar na ordem que fiz a visitação, mas você pode fazer na ordem que desejar.


#Pracegover: Imagem colorida. Mapa marcando os 4 pontos do Complexo de Chan Chan.

1- MUSEU SÍTIO CHAN CHAN

O Museu exibe diversos objetos originais encontrados em Chan Chan, como esculturas de madeira, cerâmica, roupas e objetos de metal para construção. Além disso, tem um quadro cronológico das civilizações do litoral norte do Peru. Tem exposições de lendas e informativos sobre a cultura chimu. Um destaque do museu é uma maquete grande que ilustra a distribuição de todo o complexo arqueológico.


#Pracegover: foto colorida. Maquete com a representação do que era Chan Chan no período do império Chimu. Vista de cima da maquete.

2- HUACA LA ESMERALDA

A Huaca está localizada um pouco antes da rodovia que dá acesso ao Museu e ao Palácio Nik An. A Huaca Esmeralda tem um planta retangular de aproximadamente 65 por 41 metros. A huaca é formada por duas plataformas. Em suas paredes tem decorações com desenhos de peixes e redes de pescar.


#Pracegover: Foto colorida. Homem de costa andando por meio de uma viela com muros de adobe. Na frente céu azul claro.

3 - HUACA ARCO ÍRIS

A Huaca Arco Iris, também conhecida como Huaca El Dragon ou Cienpies foi construída no século XI. A sua única entrada está orientada ao oeste. A decoração é dedicada ao Arco Iris como simbolo de fertilidade e das chuvas. A Huaca é mais afastada de todos os outros pontos do complexo arqueológico e tem cerca de 60 por 54m de muralha perimentral.


#Pracegover: Foto colorida. Parede da Huaca cheia de desenhos. Parede protegida com um teto improvisado com pilastras de bambu.

4 - PALÁCIO NIK AN "CHAN CHAN"

O Palácio de Nik An é a parte mais interessante e que atrai a maioria dos turistas. Todo o complexo do Palácio está rodeado por uma grande muralha com cerca de 10 a 12 metros de altura. Ao todo o palácio é dividido em 9 partes a primeira é a Praça Cerimonial (foto): um ambiente de grande extensão, onde eram realizadas cerimônias de grande importância, como o culto a Lua, que foi a principal divindade do império Chimu. No local eram praticados rituais com música e dança. Ao longo do percurso do sítio arqueológico, passamos pela segunda Praça Cerimonial, a qual era utilizada em cerimônias de caráter privado.


#Pracegover: Foto colorida do Grande Pátio. Ao fundo paredes de adobe.

Outro ponto destacado no sítio arqueológico são os corredores com desejos na parede de peixes e aves. Na primeira parte tem peixes que se dirigem de norte a sul que representam a corrente do Niño (águas quentes) e a segunda parte dos peixes se dirigindo do sul para o norte representando a corrente Peruana de Humboldt (águas frias). Na sequência temos a "Sala del Altarcillo" que é um patio cerimonial onde encontra-se um pequeno altar anexo em um muro com desenhos de redes de pesca. Seria um lugar utilizado para preparar as pessoas que iam participar de cerimônias no Pátio principal.


#Pracegover: Foto colorida. Parede com desenho representando redes de pesca. No centro um pequeno altar parecendo uma cadeira anexada a parede.

O setor de maior iconografia são as salas de "Audiencias e Adoratorios" (foto), que são cheias de figuras geométricas e construções bem diferentes dos demais pontos de Chan Chan. Acredita-se que estes espaços foram dedicados ao culto e a recepção de oferendas e tributos as divindades. Ao longo do caminho pelo sítio arqueológico também vemos muitos Depósitos ou Armazéns, são salas destinadas para guardas mantimentos de comida, roupas e utensílios e armas.


#Pracegover: Foto colorida. Adoratorios. Formatos geométricas feitos em adobe formando pequenas divisões. No meio algumas pilastras de bambu sustentando telhas de eternit.

Um ponto importante para Chan Chan é o Huachaque (Poço Cerimonial), é uma espécie de lago artificial de 148m de largura por 48 de cumprimento e cerca de 6m de cumprimento. O local foi utilizado para cerimônias de culto a água com oferendas de animais e humanas. Na época que estive no local o poço estava seco, virando um verdadeiro pasto. Vale destacar que na antiga cidade de Chan Chan existiram mais de 100 poços.

Próximo ao Huachaque encontra-se o Recinto Funerario e as Tumbas Reales. No centro da plataforma encontra-se o corpo do Rei Chimú, que está rodeado por 44 tumbas secundarias. Onde foram colocadas suas esposas, servos, guerreiros. Os Chimú acreditavam na vida após a morte.


#Pracegover: Foto colorida - Tumbas Reais. No centro um grande buraco com laterais em degraus.

Por fim, a "sala das 24 Hornacinas", no local eram realizados conferencias sobre assuntos políticos, militares e religiosos. As paredes da sala são ornamentadas com esculturas de madeira que serviam como oferendas para os governantes e os deuses.


#Pracegover: Foto colorida. No centro o espaço aberto. Dos lados duas paredes com aberturas. Em cada lado na abertura uma escultura de um "guerreiro chimu" em madeira.

COMO CHEGAR EM CHAN CHAN?

O Complexo Arqueológico fica próximo de Trujillo, no litoral norte do Peru. Existem voos diretos de Lima (capital peruana) para Trujillo, com cerca de 1h de duração. Ou de ônibus são cerca de 8h30.

OPÇÕES PARA VISITAR O COMPLEXO:

1 - Ônibus ou coletivos: Saem de alguns pontos do Centro de Trujillo, custam cerca de 3 a 5 soles. É uma opção barata, porém um pouco desconfortável. São bem cheios e fazem muitas paradas. 2 - A pé: São cerca de 4 a 5km do Centro até o Museu (50 min de caminhada, aproximadamente), de 6 a 7km do Palácio, 3 a 3.5km da Huaca Esmeralda. Esses 3 pontos ficam praticamente no mesmo caminho. Apenas a Huaca Arco Íris fica em outra direção. Porém, não recomendo essa opção. Fiz e não vale a pena. Os pontos do complexo são longe um do outro. No final é necessário de algum transporte, caso você queira ver os pontos de qualquer maneira. Além de que tem de pensar na volta, mais o que você anda dentro dos espaços. É bem cansativo.

3 - Táxi é uma opção que é cômoda e não tão cara. Por cerca de 25 a 50 soles é possível negociar fazer o trajeto do Centro até o Complexo com a parada nos 4 locais. DICA: Sempre negocie os valores.

4 - Agências de Turismo: É uma opção cômoda e boa pois os sítios não tem muitas informações. Os tours são cerca de 30 a 40 soles (mais o valor da entrada do Complexo). ATENÇÃO: Certifique-se que o tour irá passar em todos os pontos, pois pode ser que seja apenas para o Museu e o Palácio. Já o táxi pode cobrar cerca de 20 a 40 soles.

DICAS:

  • GUIA: Esse é um lugar que vale fazer com guia. Não existem placas informativas nas huacas e no Palácio. Apenas no Museu você terá informações sobre a cultura Chimu e Chan Chan. Se você não contratar um tour guiado, existem alguns guias na entrada do Museu ou do Palácio oferecendo serviços.

  • GUIA 2: Caso, você estiver com a grana curta, faça como eu fiz, compre um livreto informativo que eles vendem na porta do local por apenas 2 soles. Vale a pena, principalmente para andar no Palácio Nik An.

  • HUANCHACO: Caso você por conta própria, após a visitação a Chan Chan você pode visitar a cidade de Huanchaco que está a poucos km do complexo. A pequena cidade litorânea é conhecida pelos seus barcos e pranchas de totora.

  • LEVE: Protetor solar, óculos de sol, boné e água. A região é quente e apesar de ter algumas partes cobertas, outras não. Sem contar que é um complexo com um grande percurso.

ACESSIBILIDADE:

O Complexo de Chan Chan ainda precisa melhorar no quesito de acessibilidade. Faltam informações disponíveis no site oficial. Nas partes do sítio arqueológico existem irregularidades que dificultam a locomoção de pessoas com deficiência com mobilidade reduzida. Já no museu existe mais dispositivos para atender adequadamente a todas as pessoas.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS:

  • HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: 9h às 17h (Terça a domingo)

  • PREÇO: 10 soles (R$ 11,55 reais na data do post - 06/12/18) para as 4 atrações

  • SITE OFICIAL CHAN CHAN

#Peru #AméricadoSul #sitioarqueológico #museus

CONHEÇA HUARAZ

O PARAÍSO NATURAL PERUANO

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • instagram_PNG11
  • Tumblr Social Icon
  • Spotify Social Icon

REDES SOCIAIS

Foto: Abrindo a Cabeça logo
Foto Leonardo Spagiani Paduan

ABRINDO A CABEÇA

  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round

DICAS DE VIAGEM, CULTURA, CURIOSIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS, HISTÓRIAS DE MOCHILÃO E MUITO MAIS