A CASA DE TROTSKY


Em uma casa em Coyoacán, distrito da Cidade do México, foi onde Leon Trotsky viveu seus últimos anos de vida com sua esposa, Natalia Sedova e o seu neto Esteban Volkov. Nesta casa, o líder da revolução russa sofreu dois atentados, sendo que o segundo causou sua morte. O lugar tornou-se um museu aberto a visitação do público. O acervo conta com mobília e objetos pessoais de Trotsky e de sua família.


#Pracegover: Foto colorida. Entrada do Museu. Parede Vermelha escrito em cima "Museo Casa de Leon Trotsky". Em baixo um banner grande da Exposição temporária "Humanidade Migrante".

A SAGA DE TROTSKY ATÉ O EXÍLIO NO MÉXICO

Lev Davidovich Bronstein (nome de batismo de Leon Trotsky) foi um dos líderes da Revolução Russa de 1917, que derrubou a autocracia russa e levou ao poder Lênin. Durante o período de governo de Lênin, aconteceu uma cisão de pensamento entre Trotsky e Stalin. O primeiro defendia a expansão da revolução para outros países, enquanto o segundo afirmava que deveriam manter o socialismo unicamente dentro do país.

Em 1924, com a morte de Lenin, iniciou-se a corrida pela sucessão no comando do Partido Comunista. Stalin acabou no controle do partido, assim Trótski foi expulso deste e exilado da União Soviética. Desta maneira começou a migração do líder da revolução russa. Após a deportação, Trótski passou pela Turquia, França (julho de 1933 a junho de 1935) e Noruega (junho de 1935 a setembro de 1936). Até que finalmente fixou-se no México, onde viveu até sua morte em 1940.


#Pracegover: Foto colorida. Mapa com os trajetos de migração dos Exilios de Trotsky.

O Presidente do México, Lazaro Cardenas, influenciado pelo muralista Diego Rivera, aceita o exílio de Trotsky, que chega em 1937 no porto de Tampico. O russo viveu temporariamente na casa da esposa de Rivera, a pintora Frida Kahlo. Inclusive, existem relatos de que o Trotsky e Frida tiveram um relacionamento amoroso. Depois, de algum tempo Trotsky muda-se para uma outra casa onde viveu até seus últimos dias com sua mulher Natalia e seu neto.


#Pracegover: Foto em Preto e Branco. Ao centro Leon Trotsky e Frida Kahlo. Na esquerda o prefeito da Cidade do México, Antonio Villa Lobos. Na direita um guarda costa de Trotsky e o congressita José Escudero

O MUSEU E CASA DE TROTSKY

A entrada do museu fica numa das principais avenidas de Coyocán. Logo na entrada tem alguns livros e objetos utilizados por Trotsky, além de algumas capas de revistas e jornais da época em que ele ficou exilado no México. Depois, tem um pequeno corredor, no qual as paredes tem uma linha do tempo contando a história da Revolução Russa e da vida de Trotsky. Descendo este corredor chegamos aos jardins e a casa.

O Museu possui um guia que oferece a visita guiada, sem custos adicionais. Recomendo fazer a visita com o guia, pois é uma verdadeira aula de história sobre a revolução russa e da vida de Trotsky. Primeiro o guia conduz até a casa dos guardas. No local temos várias fotos históricas do partido comunista, da revolução russa e da família de Trotsky, além de alguns painéis da árvore genealógica da família do russo.


#Pracegover: Foto em preto e branco com os rostos dos comandantes de Lenin

Antes de entrar propriamente na casa, o guia fala sobre os costumes de Trotsky. O russo sofreu 2 atentados na casa. No primeiro, um grupo, a mando de Stalin, invadiu a casa e a alvejaram de tiros. Após este incidente, Trotsky resolveu fazer as mudanças na construção original para aumentar a segurança do local. Foram colocadas novas torres com guaritas (foto abaixo), subiram os muros, foram trocados portas e janelas por tamanhos menores e com material mais resistente, tudo com o intuito de deixar a casa mais protegida.


#Pracegover: Foto Casa de Trotsky paredes com jardim vertical. Torre de guarda no canto superior direito. Muros altos. e jardim na frente

Dentro da casa, conserva-se a mobília e muitos objetos utilizados pela família de Trotsky. Entramos pelo quarto do neto, seguimos passando pelo quarto de Trotsky e Natalia, cozinhas, salas e demais cômodos da casa. O que mais chama atenção são os buracos de bala na parede. De acordo com o guia, originais causados neste primeiro atentado, o qual acabou ferindo o neto de Trotsky no pé.


#Pracegover: Foto de parede com marcas de tiros

O cômodo que mais chama atenção é o escritório, onde o revolucionário sofreu o atentado que ocasionou a sua morte. Trotsky recebeu no local, o então amigo "Jacques Mornard”, que na verdade era um agente a mando de Stalin, chamado Ramón Mercader. O agente começou a frequentar a casa do russo e ganhar sua confiança do mesmo. Até que no dia 20 de agosto de 1940 consegue uma reunião com ele. Durante o encontro e, aproveitando um momento de distração, Mercader aplica com uma picareta um golpe fatal no crânio de Trotsky. Ao ouvir o ruído, os guarda-costas da casa entram na casa e o líder da revolução russa, ainda consciente pede para não matarem o seu agressor. Trotsky é encaminhado para o hospital, onde faleceu no dia seguinte.


#Pracegover: Foto colorida escritório de Trotsky. Na esquerda um criado com os espaços vazados, com alguns livros no meio. Em cima uma estátua do rosto de Trotsky. Ao centro uma mesa com alguns objetos em cima como telefones, livros, e material de escritório. Ao fundo na esquerda uma pequena cama ao lado de um outro aparador cheio de livros e um globo. Na parede uma janela bem grande fechada.

Por fim, o tour guiado termina nos jardins da casa. Neste ponto, encontra-se o lugar onde estão guardadas as cinzas de Leon Trotsky e de sua esposa Natalia Sedova. Após, a conclusão do passeio, o guia deixa o grupo livre para tirar suas fotos e andar pelos jardins e propriamente pela casa. No jardim também estão os banheiros e um pequeno restaurante.


#Pracegover: Foto colorida. Pequeno monumento com o simbolo do comunismo (foice e o martelo). com o escrito de Leon Trotsky e Natlia Sedova. Em volta algumas plantas do jardim e dois vasos de flores na parte inferior.

COMO CHEGAR?

O Museu fica localizado na Av. Río Churubusco 410, no distrito de Coyoacán. Caso, você esteja hospedado (a) próxima a região do Centro Histórico da Ciudad de Mexico você terá várias opções para chegar ao Museu Casa de Trotsky. Vamos a elas:

1 - A mais fácil e cômoda é o táxi ou Uber. Se você for de táxi a dica é negocie o preço da corrida antes de começar. Como a capital mexicana tem muito trânsito, o taxímetro pode correr muito e tornar a corrida mais cara. Os táxis não são caros e uma corrida do centro até o Museu pode variar de 10 a 20 reais. Se você optar pelo Uber, saiba que o aplicativo só funciona com pagamento por cartões. Nada de pagar a corrida em dinheiro. Esta opção ainda não está disponível lá.

2 - Ônibus. Essa opção é uma das mais baratas. O transporte público no México é realmente muito barato. Existem algumas opções de linha que chegam próximo ao museu. Neste caso, vale a pena verificar as opções pelo Google Maps, ou perguntar na sua hospedagem.

3 - Metrô: Nesta opção você vai gastar apenas 5 pesos (cerca de R$ 1,00). É uma opção bem fácil (inclusive foi a opção que utilizei). Você precisará chegar na linha 3 do metrô. Vá no sentido Universidad (lembrando que essas são as coordenadas, se você estiver na região do Centro Histórico) e desça na estação de COYOCÁN. Depois, você precisará andar pouco mais de 1km até o museu (mapa abaixo). ATENÇÃO: O metrô no México não avisa qual estação você está, portanto fique atento (a) para não passar reto.


#Pracegover: Foto do Mapa com a marcação do Metro até o Museu de Trotsky

O QUE VER POR PERTO?

Poucas quadras dali está o Museu Frida Kahlo, onde morou a pintora e seu marido Diego Rivera. O próprio Trotsky também morou por um tempo na famosa "Casa Azul". O museu fica localizado na Calle (rua) Londres 247.

INFORMAÇÕES ÚTEIS:

HORÁRIO: Terças a domingo das 10h às 17h.

PREÇO: Entrada custa 40 pesos mexicanos. 15 pesos para tirar fotografias.

ACESSIBILIDADE: O local até apresenta alguns instrumentos para garantir a acessibilidade. Na entrada do Museu temos um pequeno painel em braile. Entre a entrada e o acesso ao jardim possui uma rampa, porém, ainda tem alguns problemas, como escadas e desníveis. A visitação fica bastante comprometida principalmente para pessoas com deficiência que tenham mobilidade reduzida.


#Pracegover: foto colorida suporte de metal em braile na frente do museu.

#México #AméricadoNorte #museus

CONHEÇA HUARAZ

O PARAÍSO NATURAL PERUANO

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • instagram_PNG11
  • Tumblr Social Icon
  • Spotify Social Icon

REDES SOCIAIS

Foto: Abrindo a Cabeça logo
Foto Leonardo Spagiani Paduan

ABRINDO A CABEÇA

  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round

DICAS DE VIAGEM, CULTURA, CURIOSIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS, HISTÓRIAS DE MOCHILÃO E MUITO MAIS