RESQUÍCIOS DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL E GUERRA FRIA EM BERLIM


Berlim é uma cidade que ficou muito marcada pela história recente. A capital alemã foi um dos principais palcos da Segunda Guerra Mundial, bem como tornou-se conhecida pelo Muro que dividiu a cidade em duas partes (Oriental - Socialista e Ocidental - Capitalista), durante o período da Guerra Fria. Até hoje, Berlim guarda resquícios desses momentos históricos. Vamos conhecer cinco destes pontos?

1 - Bunker de Hitler

O Bunker de Adolf Hitler (Führerbunker), protagonista de uma das páginas mais tristes da história da humanidade, já não existe mais. Infelizmente, não podemos dizer o mesmo dos seus ideais nazistas, que ainda hoje existem. O bunker era um complexo subterrâneo anti ataques aéreos localizado a nordeste da Chancelaria do Reich. O local estava cinco metros de profundidade e protegido por mais quatro metros de concreto armado. O bunker era composto por cerca de trinta salas espalhadas por dois pisos e havia saídas na construção principal e uma saída de emergência para os jardins. O local era uma verdadeira fortaleza, equipado com sistema de ventilação protegido contra gases venenosos, geradores a diesel e portas de aço. O ditador nazista viveu suas últimas horas e cometeu suicídio dentro do bunker.

Após o término da Segunda Guerra, os soviéticos tentaram demoliram a Chancelaria e fizeram várias ações para destruir o bunker. Mas, ao final do século XX, outras partes do complexo subterrâneo foram descobertas, sendo lacradas, as autoridades governamentais queriam destruir os últimos vestígios desses marcos nazistas. A construção dos edifícios na área ao redor do Führerbunker foi uma estratégia para garantir que o ambiente permanecesse anônimo e normal.

Em 2006 foi instalado um quadro de informações para marcar a localização do bunker . A placa, incluindo um diagrama esquemático do complexo subterrâneo, pode ser encontrada na esquina da In den Ministergärten e Gertrud-Kolmar-Straße, duas pequenas ruas a cerca de três minutos a pé da Potsdamer Platz . O guarda-costas de Hitler, Rochus Misch , uma das últimas pessoas que viviam no bunker na época do suicídio de Hitler, estava à disposição para a cerimônia.


#Pracegover: Foto colorida em primeiro plano Placa com informações do Bunker de Hitler. Ao fundo prédio de 7 andares com várias janelas. Chão com neve

2 - Prédio Ministério das Forças Áreas Nazista (Luftwaffe)

Esse é mais um dos pontos que provavelmente você passaria na frente batida sem dar grande importância. Eu mesmo só conheci, por fazer um Free Walking Tour por Berlim, na oportunidade a nossa guia explicou sobre a importância histórica do local. O prédio do Ministério da Aviação do período da Alemanha Nazista de Hitler continua intacto no centro de Berlim. Este foi um dos poucos edifícios da capital alemã que sobreviveram aos massivos bombardeamentos aliados que deixaram completamente a cidade em ruínas. O ministério estava a cargo do desenvolvimento e produção de aeronaves, prioritariamente para a Força Aérea Alemã (a Luftwaffe), mas também para aplicações comerciais.

O prédio foi construído no período de 1935 a 1936. Na época era o maior edifício de escritórios de toda a Europa. Após o final da Segunda Guerra Mundial o edifício ficou em território da República Democrática Alemã (lado socialista) e passou a desempenhar o papel de "Casa dos Ministérios". Atualmente, o local passou a ser a sede do Ministério das Finanças Alemão.


#Pracegover: Foto colorida da Fachada do Ministério da Fazenda da Alemanha

3 - Memorial dos Judeus

Também conhecido como Memorial do Holocausto ( em alemão: Holocaust-Mahnmal), é uma área de 19.000 metros quadrados, coberta com 2.711 blocos de concreto, parecendo com um campo ondulado de pedras. Os blocos tem altura variada desde 0,2m até 4,8m. O projeto visa produzir um clima de certa intranquilidade, confusão e angustia nas pessoas que andam por entre os blocos. Realmente, andar entre os blocos causa um certo desconforto, principalmente no meio do memorial.

Em um anexo subterrâneo, guarda os nomes de todas as vítimas judias conhecidas do Holocausto. O memorial está localizado a uma quadra ao sul do Portão de Brandemburgo, perto da Potsdamer Platz, numa distância que pode ser vista do parlamento federal alemão.


#Pracegover: Foto do Memorial do Holocausto. Vários blocos lado a lado, com o topo coberto com neve. Ao fundo alguns prédios.

4 - CheckPoint Charlie

O Checkpoint Charlie se tornou um símbolo da Guerra Fria, representando a separação do leste e oeste, atualmente tornou-se um ponto turístico da capital alemã. Durante o período em que o Muro de Berlim dividia a cidade, havia oito passagens de fronteira entre Berlim Oriental e Ocidental, o que permitia o trânsito de berlinenses. Essas passagens eram restritas às nacionalidades que possuíam autorização para usá-las (alemães do leste, os alemães oeste, berlinenses ocidentais, outros países). O mais famoso foi o ponto de verificação de pedestres na esquina da Friedrichstraße e Zimmerstraße, também conhecida como Checkpoint Charlie, que era limitada aos funcionários dos países Aliados e estrangeiros. Além de Charlie, haviam também o Checkpoint Alpha e Bravo.

Após a queda do muro e a reunificação da Alemanha o posto foi removido em junho de 1990 e a cabine original onde ficava o guarda foi removida. No ano de 2000, entretanto uma reprodução da cabine foi colocada no mesmo local onde se encontrava a original. No local é possível carimbar o passaporte com os carimbos das antigas Alemanhas. Ao lado da cabine também tem o Museu do Muro ("MauerMuseum"), que está aberto todos os dias das 9h às 21h, com um custo de € 14,50 (inteira).


#Pracegover Foto. Rua de Berlim. Algumas pessoas passando. Ao fundo CheckPoint Charlie (Cabine com soldado na frente) No lado esquerdo prédios, entre eles o MauerMuseum (Museu do Muro)

5 - Resquícios do Muro de Berlim

Apesar de estarmos perto de completar os 30 anos da queda do Muro de Berlim, resquícios dele ainda se encontram pela cidade. Além do MauerMuseum, são vários locais que se encontram exposições referentes a história do muro que dividiu a capital da Alemanha. A cidade está cheia de "marcas" e cicatrizes causadas por esse muro, assim como do período de terror da era nazista. Partes do muro ainda estão ainda de pé em algumas partes da cidade.


#Pracegover: Foto colorida. Ao fundo resquícios do muro de Berlim.

Nas ruas também existem marcações de metal com a escrita “Berliner Mauer – 1961 -1989, sinalizando que por ali passava o muro. Ou senão, simplesmente traçados com pedras marcando por onde passava o muro. Além disso, em várias pontos existem exposições com pedaços do muro, com imagens e dados históricos.


#Pracegover Foto. Fragmentos do muro de Berlim expostos lado a lado, com painéis com informações entre um fragmento e outro. Na frente um homem passando e apontando para a exposição. Muro em preto e branco e resto da foto em cores.

#Alemanha #Europa #história

CONHEÇA HUARAZ

O PARAÍSO NATURAL PERUANO

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • instagram_PNG11
  • Tumblr Social Icon
  • Spotify Social Icon

REDES SOCIAIS

Foto: Abrindo a Cabeça logo
Foto Leonardo Spagiani Paduan

ABRINDO A CABEÇA

  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round

DICAS DE VIAGEM, CULTURA, CURIOSIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS, HISTÓRIAS DE MOCHILÃO E MUITO MAIS