VIDA DE UM CASAL BRASILEIRO NA BÉLGICA


**SUGESTÃO: Lista do Spotify da Bélgica

A Bélgica é um país que normalmente não está incluso nas Eurotrips da maioria das pessoas. Porém, o pequeno país, localizado entre Holanda e França possui seu charme e encanta seus visitantes. As maiores atrações turísticas do país são suas cidades que possuem um ar medieval. Sem contar que a Bélgica é um excelente lugar para os amantes de waffles e chocolate. Agora ficou mais interessante né?


#Pracegover: Marca d'agua com a bandeira da bélgica. Atrás na foto a estrutura do "Átomo". Monumento de metal em forma de um átomo

A BÉLGICA DO FELIPE E DA LIVIA

Nessa série especial dos países participantes da Copa, normalmente, fazemos um "tour" pelo país junto com uma pessoa. Desta vez, teremos "dois guias". O casal, Felipe Alves e Lívia Grandini, estão morando na Bélgica desde o começo de 2018 e vai contar um pouco da experiência deles no país.

O Felipe é formado em Engenharia Mecânica e em 2016 participou de uma conferência no país. "Gostei muito do país e em particular da universidade, onde atualmente estou trabalhando. Fui convidado na época para fazer doutorado em acústica e vibrações numa das melhores universidades da Europa, a Katholieke Universiteit Leuven, ou como é mais conhecida, KU Leuven. Tal universidade fica na cidade de Leuven, na região norte da Bélgica, na qual da o nome à universidade. O programa de doutorado dura em média 4 anos, e pretendo ficar de 4 a 5 anos no país. Ainda é cedo para falar se volto ou não para o Brasil, mas é claro que penso em um dia voltar e ajudar meu país com todo conhecimento que irei adquirir por conta do doutorado", contou Felipe.

Essa mudança foi mais fácil por conta do apoio da sua esposa, Lívia, que largo sua carreira em odontologia e suas atividades no Brasil. Assim, eles mudaram juntos para a Bélgica por conta da oportunidade de carreira internacional do Felipe.


#Pracegover: Foto. No lado esquerdo homem (Felipe), do lado direito uma mulher (Lívia). Ao fundo alguns prédios da cidade de Bruxelas.

EXPECTATIVA X REALIDADE

O casal tinha expectativas diferentes com relação a vida nova na Europa. Enquanto, a Lívia demonstrou que no começo sentia medo da mudança, o Felipe estava empolgado com a nova oportunidade em sua carreira,"Minhas expectativas eram as melhores possíveis antes de vir pra cá até porque eu já conhecia o país. Desde o meu trabalho, pois sabia que iria trabalhar no que gosto, até os preços de todas as coisas, que não são abusivos. Uma coisa que me decepcionei foi com o clima, aqui chove muito e a maioria dos dias possui aquele céu cinzento, o que não ajuda muito no humor e na vontade de fazer as coisas, mas isso é uma questão de costume.No mais, a Bélgica é um país ótimo para se morar. Acredito que a única coisa ruim é a distância que estou de minha família no Brasil."

Enquanto isso, antes da mudança, a Lívia tinha que lidar com os "e se..." da vida. Porém ela em pouco tempo já aprendeu uma lição, não duvidar de si mesma e não precisa ter medo de nada. "Antes, eu tinha muito medo, beirava o desespero quase (risos). Tinha medo de chegar em um lugar que não conhecia, ficar tão longe da família, ficava pensando muito nos “e se...”. E se ninguém me entender, e se eu não quiser mais, e se eu não tiver o que fazer? Mas, foi totalmente o contrário, é claro que se você vier e só falar português vai ser mais difícil. Assim como foi pra mim no começo, sempre estudei inglês na minha vida, mas era muito difícil me comunicar, tinha mais facilidade de entender. Ate que quando cheguei aqui e as pessoas falavam comigo e eu entendia. A única coisa que era frustrante pra mim era não conseguir me expressar tão bem, mas estou melhorando", destacou.

RECEPÇÃO DOS BELGAS:

O casal afirma que não tiveram dificuldades na adaptação, que o tratamento são muito bem tratados pelos belgas. "O povo é bem hospitaleiro, gostam de ajudar e tentam te entender a qualquer custo. Mesmo que não consiga te ajudar, ele arruma alguém que te ajude. Assim como o brasileiro quando chega um gringo pedindo informação. O povo aqui também gosta muito de bares, cerveja e festa", disse Lívia.

Felipe fez apenas uma ressalva e disse que os belgas são um pouco “frios”. " Eles tem a vontade de ajudar as pessoas e o espírito acolhedor, apesar do europeu em geral ser um pouco frio. O que acontece é que eles são na deles, um pouco tímidos também, o que os faz um pouco difícil de socializar. Sobre preconceito, até agora, não presenciei nada. Os alunos internacionais, por outro lado, são mais receptíveis, quando cheguei aqui, fui bem recepcionado, apesar de estar aqui por apenas 3 meses, já possuo um grupo de amigos de várias nacionalidades, o que ajudou bastante na adaptação", ressaltou.

CIDADES BELGAS:

Felipe disse que como faz pouco tempo que se mudaram para a Bélgica ainda não tiveram a oportunidade de viajar muito. "Como faz poucos meses que nos mudamos para Leuven, não tivemos muito tempo para viajar. Leuven, em si, é uma cidade muito bonita, arquitetura gótica, como praticamente em todas as cidades belgas, cheia de parques e lugares históricos, alguns até construídos no século XI."


#Pracegover: Foto. Prédio da Prefeitura de Leuven. Prédio alto, de 3 andares, com janelas grandes. E detalhes da arquitetura no estilo gótico.

Lívia destaca que as cidades são bem próximas umas das outras e de fácil acesso. " A gente mora em Heverlee que é do lado de Leuven, e da pra atravessar de uma cidade a outra andando. Kesse-lo é onde fica a estação de trem e dá pra ir andando também, mais ou menos 30 ou 40 min de casa. Em Heverlee tem o Castelo de Arenberg, onde funciona cursos de engenharia da KU Leuven, é um lugar maravilhoso onde muitas pessoas caminham e passeiam com família e filhos", informou.

A brasileira afirma que Leuven é uma cidade universitária. "Por conta disto, tem bastante bar e vida noturna, além dos restaurantes típicos da Bélgica a cidade abriga a fábrica sede da Stella Artois", informou. "Se vier à Leuven, com certeza não pode faltar o “tour” na fábrica da Stella Artois com direito a meia hora de degustação no final do passeio", explicou Felipe.


#Pracegover: Foto da fachada do prédio da empresa Stella Artois

Felipe também fez outra recomendação para aqueles que desejam visitar a cidade. "Em Leuven tem um lugar muito bonito chamado Groot Begijnhof (lugar onde as freiras se isolavam do mundo), que é da época da idade média e ainda possui uma estrutura sólida e bem conservada", ressaltou.


Além da região onde moram, os brasileiros já conheceram também a capital do país. "Conhecemos Bruxelas também, é uma cidade linda, cheia de história, gastronomia e arquitetura. Além de ser a casa do cartunista belga Hergé, criador do famoso Tintin, em Bruxelas você encontra um roteiro pela cidade chamado “Comic Book Route” para ver as artes de rua com o tema de vários desenhos animados como Asterix, Smurf, Lucky Luke, Gaston e muitos outros", informou Lívia.

COSTUMES:

Entre os costumes que chamaram atenção do casal estão:

  • FORMA DE LOCOMOÇÃO: Muitas pessoas usam bicicletas para se locomover usando uma bicicleta. "A maioria das bicicletas não são as mais modernas como vemos no Brasil, são muito simples porém úteis com um simples papel de locomoção", disse Lívia.

  • COLETA DE LIXO: é totalmente diferente, conforme você for descartando o lixo já tem que ir separando em cada sacola específica para descartar no dia certo da coleta." Cada semana é a vez de um tipo de lixo, quando chegamos ficamos estocando lixo por uma semana por não saber o que fazer com ele", explicou Lívia.

  • FORMA DE PAGAR CONTAS (eletricidade, luz, internet, etc). "Normalmente, as empresas te mandam por email dados bancários em que você transfere o valor especificado no email para a conta deles, nada de boleto.", explicou Felipe.

  • PRÉDIOS PREPARADOS PARA O FRIO: As casas, inclusive os prédios da universidade, são preparadas apenas para o frio, embora a Bélgica não seja um dos países europeus mais gelados; todos os lugares possuem aquecedor, porém, nada de ar condicionado. "O verão é relativamente quente, atingindo temperaturas de até 30ºC, então as pessoas passam calor quando as estações quentes chegam.", comentou Felipe.

  • PRECOS DIFERENTES, MARCAS IGUAIS: "Muitas marcas vendidas no Brasil, também são vendidas aqui, que vão desde marcas de supermercado como nestlé, nesquik (até o de morango), Maisena, até marcas e modelos de carros como corsa, ford Ká, golf, i30 etc (embora o preço das coisas não seja nada comparável aos preços abusivos do Brasil)", evidenciou Felipe.

O QUE MAIS GOSTARAM?

Ambos elogiaram bastante o transporte público e a facilidade de se locomover na cidade e no país. "O ônibus chega sempre no horário e o país em geral possui uma linha férrea para não só passageiros mas também cargas, incrível. Você consegue viajar pela Europa inteira de trem, portanto, é bem fácil de se locomover aqui. Além do mais, o aeroporto internacional de Bruxelas é apenas 20 minutos de trem daqui, então, viajar de avião é bem fácil também", destacou Felipe.

A Lívia ao falar da Bélgica demonstra que o medo no início da jornada deu lugar ao encantamento com o país. "Gostei do conjunto de tudo na verdade, aqui as coisas realmente funcionam. As comidas famosas daqui são batata frita, cerveja e chocolate, não tem como ficar ruim (risos). Os prédios tem uma arquitetura linda, são todos antiguinhos parecendo que saiu de uma lojinha de brinquedos", afirmou.

DICAS DA LIVIA E DO FELIPE

  • SEGURO VIAGEM: "Primeiro faz um seguro viagem porque é obrigatório em viagens para a Europa", alerta Lívia.

  • SE VOCÊ FALA INGLÊS NÃO TERÁ PROBLEMA: "Segundo, relaxa porque a maioria das pessoas, pelo menos do lado que fala neerlandês, também falam inglês. Essa era nossa maior preocupação, achávamos que deveríamos aprender neerlandês antes de vir mas dá pra se virar muito bem só com inglês", comentou Lívia.

  • NÃO COMPRE CHIP DE CELULAR PARA FUNCIONA NA EUROPA TODA: "Normalmente, eles são vendidos em aeroportos. Então, a maioria não pega na Bélgica", informou Lívia.

  • EVENTOS CULTURAIS: "Por aqui você vai encontrar muitos eventos culturais, eles são apaixonados por arte, história, tecnologia e gastronomia, então sempre encontrará festivais de musica, festivais de comida e cerveja, exposições", sugeriu Lívia.

  • ESTEJA PREPARADO PARA TOMAR CHUVA: "Na Europa em geral, chove bastante, em qualquer estação, não só no inverno, mas no verão também", alerta Felipe.


#Pracegover: Foto de previsão do tempo em Leuven. Uma semana marcando chuvas direto.

IDIOMA:

A Bélgica possui 3 idiomas oficiais (neerlandês, francês e alemão). Perguntei para o casal sobre como é a comunicação deles no cotidiano. "Como moramos no norte da Bélgica, a língua oficial é o neerlandês (ou flamenco) que é uma variação do holandês da Holanda.​ Nós sabemos o básico de holandês (bom dia, boa tarde, boa noite, obrigado etc– o que já é bem difícil). Porém, é possível viver apenas de inglês aqui. Inclusive no meu trabalho, na KU Leuven, a língua oficial do meu programa de doutorado é o inglês", explicou Felipe. Lívia complementa dizendo que apenas com inglês é possível ter uma vida normal, mas que eles tem ambição de aprender a língua local. "A gente se comunica somente em inglês, muito difícil as pessoas em loja, mercados ou restaurantes não souberem falar inglês. Mas ainda vamos perder a vergonha na cara e fazer um curso de línguas aqui", projetou.

ESTRUTURA TURÍSTICA:

O casal afirma que o país possui uma ótima estrutura para o turismo. "Existem muita opção de hotéis e centro de informações para turistas. Quanto às placas, eu não tenho muita certeza, mas se trouxer um mapa ou comprar um aqui em inglês é bem fácil de se locomover", explica Lívia.

"O país é preparado para receber turistas e todos se esforçam para você se sentir bem tratado e a vontade. Claro, não é possível vir pra cá falando somente português, porque praticamente ninguém fala, então sabendo inglês aqui, é sucesso", complementou Felipe.

QUESTÕES SOCIAIS

ACESSIBILIDADE: De acordo com as colocações do nossos entrevistados, o país procura garantir a acessibilidade. Porém, algumas coisas ainda precisam ser desenvolvidas. "Aqui tem bastante rampas devido as bicicletas, mas não tenho certeza da de como é acessibilidade em lojas, pois os prédios são antigos e sempre tem degrau. Porém, provavelmente tenha rampa para o acesso de cadeirantes às lojas. Nem todas as calçadas tem marcações, mas sim em lugares importantes, já reparei nas marcações até dentro de igrejas", afirmou Lívia.

Felipe aponta uma melhoria que deveria ser feito. "Acho que faltam elevadores em muitos prédios, o que facilitaria para um cadeirante por exemplo. Mas as ruas e a maioria dos lugares, sim, possuem rampas de acesso", destacou.

PRECONCEITOS: De acordo com o casal, por estarem a pouco tempo ainda é difícil de opinar sobre a questão. Felipe disse que não presenciou preconceitos como racismo, xenofobia ou homofobia. Já Lívia, comenta um episódio de machismo. "Um dia fui a uma loja com o Felipe, eu paguei o produto para um senhor no caixa e ele devolveu o troco para o Felipe sem me dirigir a palavra. Mas, penso que como todas as sociedades tem sempre alguns desse tipo.

O casal de brasileiros tem registrado um pouco da sua vida na Bélgica no projeto Belgicando.

Siga a página do Belgicando no Facebook (aqui).


#Pracegover: Foto do Belgicando. Logo e o nome do projeto.

#Belgica #Europa

CONHEÇA HUARAZ

O PARAÍSO NATURAL PERUANO

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • instagram_PNG11
  • Tumblr Social Icon
  • Spotify Social Icon

REDES SOCIAIS

Foto: Abrindo a Cabeça logo
Foto Leonardo Spagiani Paduan

ABRINDO A CABEÇA

  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round

DICAS DE VIAGEM, CULTURA, CURIOSIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS, HISTÓRIAS DE MOCHILÃO E MUITO MAIS